Feijão com Arroz

Serviços de design na medida

Menu

Conheça 7 mulheres empreendedoras de sucesso!

Empreendedorismo Leia em 6 minutos

As mulheres estão com tudo, conquistando cada vez mais espaço no mundo dos negócios e mostrando que possuem qualidades que as fazem únicas ao empreender. Algumas mulheres empreendedoras construíram negócios que revelam formas autênticas de atender às demandas da sociedade.

Cada uma delas possui uma história única e inspiradora, com seus erros e acertos, que nos farão admirá-las e, ao mesmo tempo, conquistar a força de vontade necessária para seguir em frente.

Vamos conhecê-las!

1. Luiza Trajano te convida para ser feliz

Vem ser feliz! Esse é o convite que, todos os dias, a enorme rede de varejo Magazine Luiza nos faz através dos muitos veículos de mídia onde está presente. E, se hoje conhecemos essa empresa que coleciona sucessos, a principal responsável é Luiza Helena Trajano, grande nome da marca.

É inegável que, quando se fala em mulheres empreendedoras no Brasil, Luiza talvez seja nossa primeira referência. A empresária começou trabalhando numa pequena loja de presentes dos tios e, com o passar do tempo, sua importância para o negócio foi crescendo de tal forma que, em determinado momento, sua presença tornou-se fundamental para o sucesso do Magazine Luiza.

Foram muitos percalços neste que é, sem dúvidas, um dos mercados mais disputados do Brasil, mas com visão de futuro e muita habilidade, Luiza conseguiu fazer frente aos concorrentes de peso, como as Casas Bahia e o Ponto Frio. A inovação também está no DNA da sua empresa, que foi uma das precursoras na venda virtual de produtos.

2. Leila Velez e Zica Assis são grandes mulheres empreendedoras

É possível construir um dos maiores negócios do Brasil no ramo de beleza saindo de uma família humilde? Leila Velez e Heloísa Assis provaram que sim. Heloísa, conhecida como Zica, trabalhou por muito tempo como empregada doméstica, enquanto Leila cumpria expediente como atendente em uma rede de fast-food.

O dia a dia puxado não impediu que a dupla desenvolvesse, depois de muitos testes, uma fórmula inovadora de creme capilar específico para cabelos crespos — produto que, até então, era raro no mercado. Nascia o Beleza Natural, salão de beleza especializado em cabelos crespos e cacheados, que se multiplicou da Tijuca, no Rio de Janeiro, para outros quatro estados brasileiros.

São vinte estabelecimentos que somam mais de dois mil funcionários, além de uma fábrica própria que produz cerca de 270 toneladas de produtos de beleza a cada mês. Resultado da persistência e capacidade de inovação dessa dupla de sucesso.

3. Sônia Hess e a Dudalina

Quem conhece a relevância da Dudalina hoje talvez não imagine que sua origem é bem simples. A empresa nasceu praticamente ao acaso, quando, em 1957, o pai de Sônia comprou tecidos em excesso para uma lojinha que possuíam em Santa Catarina e, para evitar desperdício, sua mãe decidiu confeccionar roupas.

Vendo nisso uma oportunidade de negócio, Seu Duda e Dona Lina abriram uma pequena empresa de confecção que, mais tarde, foi assumida por Sônia e transformada na conhecida marca de roupas, referência em qualidade e modernidade. Atualmente, a Dudalina possui lojas próprias em seis países e exporta para mais de dez. No Brasil, está presente em quase todos os estados.

Mais do que transformar um pequeno negócio familiar numa empresa de sucesso inegável, é admirável perceber o valor que Sônia Hess dá às origens do seu negócio e ao valor dos seus pais para a empresa. Sem dúvidas, uma mulher empreendedora exemplar!

4. Alcione Albanesi: das roupas às lâmpadas

Dá para imaginar que Alcione Albanesi, fundadora da líder em lâmpadas fluorescentes no país, começou produzindo roupas? Pois é verdade. Aos 14 anos, Alcione já sabia o que queria: ser dona de uma confecção de modas. Alcançou seu objetivo aos 17 anos, com sua própria empresa e oitenta trabalhadores.

Em um determinado momento, vendeu sua confecção. Como todas as mulheres empreendedoras que conhecemos até agora, Alcione não se acomodou e, com um olhar atento, percebeu numa viagem aos Estados Unidos como poderia ganhar dinheiro vendendo lâmpadas fluorescentes a baixo custo — numa época em que, por serem novidade no Brasil, ainda eram bem caras.

Sua primeira compra deu errado! Três containers de lâmpadas chegaram ao Brasil num modelo incompatível com nosso padrão, mas isso não foi motivo para desistir, pelo contrário, a empresária correu atrás e, ano após ano, foi se consolidando como uma marca confiável e com bom custo benefício: a conhecida FLC.

5. Helena Rizzo buscou nada menos que a excelência

Desvios de rota são comuns na vida das mulheres empreendedoras, como já vimos aqui. Helena Rizzo saiu da carreira de modelo para dedicar-se à gastronomia, e certamente não poderia ter feito melhor escolha — fazemos essa afirmação com segurança: Rizzo é considerada a melhor chef feminina do mundo pelo conceituadíssimo Prêmio Veuve Clicquot.

Em sociedade com seu marido e com a apresentadora e modelo Fernanda Lima, Helena comanda o restaurante Maní em São Paulo que, como você deve imaginar, tornou-se igualmente um dos melhores no mundo da alta gastronomia. Para alcançar esse posto, Helena Rizzo ralou muito. Foi para a Europa e lá entrou em imersão no mundo da culinária, aprendendo tudo o que pôde.

Hoje colhe os frutos de todo esse esforço e a admiração de todos aqueles que conhecem sua história.

6. Viviane Senna mantém o legado de seu irmão

Ayrton Senna continua sendo uma das figuras mais admiradas por todos os brasileiros, mesmo 22 anos após a sua morte. O que muita gente não sabe é que por trás de todo trabalho para manter vivo o legado do piloto de Fórmula 1 há uma mulher forte: Viviane Senna, sua irmã.

Viviane fundou, ainda em 1994, o Instituto Ayrton Senna, que desenvolve ações sociais em todo o país em prol da educação de crianças e jovens carentes. Todo ano, a ONG beneficia mais de dois milhões de alunos em milhares de municípios brasileiros de todas as regiões.

O Instituto Ayrton Senna nasceu da vontade do próprio esportista, que compartilhou a ideia com sua família poucos meses antes do seu acidente fatal. Viviane decidiu, então, que o projeto não poderia ser deixado para trás e, dessa forma, colocou as mãos na massa e construiu uma organização de referência internacional.

7. Kátia Gianini fundou a Pet Shop Tatuapé

Quando falamos sobre mulheres empreendedoras de sucesso, é preciso ter em mente que sucesso não é apenas alcançar números gigantescos de filiais, faturamento milionários e coisas do tipo. Sucesso é estar feliz e satisfeito com o seu negócio, e não encontramos pessoa melhor que Kátia Gianini para representar isso.

Após trabalhar durante sete anos em um call center, Kátia deixou sua veia empreendedora falar mais alto e decidiu que era hora de trabalhar com o que gosta: animais de estimação. Junto de sua cunhada, fundou uma pequena empresa em São Paulo, a Pet Shop Tatuapé, e conseguiu fidelizar clientes e continuar crescendo.

É claro que o crescimento não veio por acaso. Kátia estudou muito sobre o assunto antes de entrar de cabeça em seu negócio próprio e é categórica ao afirmar que trabalha com o que ama, se sentindo plenamente realizada.

Empreender é, literalmente, contribuir para a melhoria da vida das pessoas — seja através de produtos e serviços comerciais ou através de ações sociais. De uma forma ou de outra, o grande ponto é que todas essas mulheres cumprem esse papel plenamente.

O que você achou dessas histórias de mulheres empreendedoras? Sentiu-se inspirado a começar seu próprio negócio ou seguir em frente com seu projeto? Escreva pra gente nos comentários!

Quer compartilhar?
Empreendedor ideias conteudo email

Que tal o melhor conteúdo sobre empreendedorismo para você ter sucesso nos negócios?

Faça como centenas de nossos leitores: