Feijão com Arroz

Serviços de design na medida

Menu

Site ou loja virtual: qual vale mais a pena?

Comunicação, Internet Leia em 16 minutos

Estar no ambiente virtual hoje é fator primordial para o sucesso de qualquer negócio. Por isso, seja através de um site, atuando nas redes sociais ou com uma loja virtual, o importante é não perder a oportunidade de deixar de ser apenas offline.

Muitos empreendedores, contudo, ainda ficam em dúvida sobre o melhor tipo de investimento e, pensando nisso, separamos algumas dicas e informações importantes para lhe ajudar nessa decisão. Se você ainda está em dúvida entre escolher uma loja virtual ou um site, confira nosso post e saiba qual a melhor opção para o seu negócio.

1. O que é um site?

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que é um site. Bem, ele contém informações sobre a empresa, em formato de texto, vídeo, imagens ou outros recursos audiovisuais que se adequem à representação da marca na web.

Por que ter um site para a sua empresa

Estar online é o primeiro fator motivador para que a sua empresa tenha um site institucional. Contudo, se ele ainda não é o suficiente para te convencer, você precisa continuar lendo nosso post, pois separamos algumas razões que você deve considerar estrategicamente para o seu negócio na hora de optar por ter um endereço online da sua marca. Confira:

Disponibilizar informações sobre o seu negócio

Quando você tem um site, as informações do seu negócio ficam disponíveis 24h por dia, 7 dias por semana. Dessa forma, se uma pessoa buscar pelo que você vende em qualquer hora do dia e chegar ao seu site, você não precisará se preocupar, pois ele será informado de tudo que for mais importante.

Demonstrar autoridade no seu mercado

Não basta ter um telefone e endereço de contato cadastrados em uma lista online, por exemplo. É preciso ter um site e investir nele. Um bom website tem a “cara da empresa”, um layout atraente e funcional, uma boa performance de navegação, entre outras características que o tornam realmente ideal.

Ser encontrado pelos buscadores

Existe uma frase popular que diz “se não está no Google não existe”. Isso prova que o consumidor está cada dia mais acostumado a buscar informações na internet antes de realizar qualquer transação. Por isso, se você pretende ter um negócio sustentável, precisa ser encontrado pelos buscadores. Para isso, ter um bom site é essencial. Vale dizer que ele não deve apenas ter as informações, mas ser completo, usar palavras-chave estratégicas, ter um visual bonito e responsivo, entre outras características.

Por que as redes sociais não bastam para a minha empresa?

Estar presente nas redes sociais é extremamente importante para que a sua marca ganhe força. Contudo, é importante lembrar que elas têm caráter de relacionamento, engajamento e interação. Por isso, você precisa estar nas redes sociais, mas não pode abrir mão de ter um bom website. Tenha em mente que somente um site te fornecerá uma base sólida de contatos, pois eles serão seus, não da rede social, que tem regras e restrições para a divulgação das páginas.

Poder de customização

Um site pode ser totalmente customizado – é claro que isso depende do budget disponível para o investimento -, ficando com a “cara da marca”, respeitando a identidade visual e o que é prioridade ou não para a sua empresa. Isso também entra como um fator de credibilidade e confiabilidade da sua marca na internet.

Integração a outras ferramentas

Através de um bom site você pode integrar, por exemplo, o CRM da sua empresa, blogs para ter mais conteúdo na internet, entre outras. Além disso, você pode ter ferramentas de envio de email marketing e newsletter e até mesmo ter as redes sociais integradas à sua página. Para que você consiga analisar os números de acesso e demais informações da sua plataforma, é interessante que ele seja integrado ao Google Analytics também.

Que tal um blog dentro do site?

Um site institucional falará 100% sobre a sua marca, sobre o seu negócio. Porém, para ter uma estratégia otimizada de conteúdo, você pode apostar em um blog, que será integrado ao seu site através de um domínio/blog ou blog.domínio. Dessa forma, você ganha visibilidade, falando de assuntos de interesse e relevantes para o seu público; autoridade por falar com propriedade sobre esses temas; além de ser encontrado mais facilmente pelo Google, por ter conteúdo de qualidade. Lembre-se, é claro, de ter uma estratégia para o seu blog, focando em temas relevantes para seu público, mas pensando em palavras-chave estratégicas para o seu negócio também.

Afinal, o que é um site bom?

Um bom site será customizado de acordo com a sua identidade visual e, mesmo que seja feito com base em templates, não terá aquele aspecto de “coisa pronta da internet”. Além disso, para escolher um bom design, procure saber qual é a ferramenta usada, se ela tem fácil aprendizado e te permitirá atualizar informações sem precisar acionar suporte técnico, por exemplo. Ele também lhe dará domínio e emails exclusivos, para garantir ainda mais profissionalismo e credibilidade à sua presença na web.

A experiência do usuário

Um ponto de atenção na hora de ter o site da sua empresa é a experiência do usuário. Essa experiência considera aspectos de layout, assim como elementos do site que contribuem para que o usuário consiga, não apenas acessá-lo, mas consumir as informações, encontrar o que procura de forma ágil, com uma navegação otimizada e eficiente. Alguns elementos de UX (user experience) para considerar:

  • Site responsivo, para que o usuário acesse por qualquer dispositivo e tenha uma boa experiência, com boa adaptação do layout e das funcionalidades;
  • Informações organizadas e exibidas de forma a atrair o olhar do usuário, garantindo que ele execute as conversões esperadas por você;
  • Organização ou arquitetura das informações, de forma que a vida do usuário seja facilitada;
  • Visibilidade de aspectos de segurança, como os cadeados dos certificados de segurança, criptografia das informações, por exemplo;
  • Informações que agreguem valor, informem, tirem dúvidas ou resolvam problemas;
  • Uso de imagens e elementos audiovisuais para “suavizar” o excesso de informações escritas;

2. O que é uma loja virtual?

Uma loja virtual é um ambiente em que você realiza transações comerciais online. O e-commerce, como também é chamado, não apenas tem um catálogo com os produtos, mas integrações com meios de pagamento, operadores logísticos, entre outros, permitindo ao consumidor realizar toda a escolha, compra, pagamento e acompanhamento do pedido pela internet.

Por que apostar em uma loja virtual?

Um e-commerce é indicado para quem fará negócios online. Além disso, existem alguns outros motivos que podem servir de critério para que você opte ou não por uma loja virtual. Separamos as principais razões que devem levar à escolha de uma loja virtual como opção para atuar online.

O consumidor está cada dia mais conectado

Um e-commerce garante que o cliente não precisará sair de casa, enfrentar transito, pagar estacionamento, esperar em filas e ainda correr o risco de não encontrar tudo que procura em um shopping, por exemplo. Por isso, o comércio eletrônico vem ganhando força e o consumidor está cada dia mais interessado em comprar online. Essa é a resposta mais importante quando falamos do investimento em uma loja virtual: estar onde o consumidor procura por produtos é a garantia de ter sucesso no mercado, independente das mudanças pelas quais ele tem passado.

Seu negócio sempre “aberto”

Quando você aposta em uma loja virtual está investindo em um negócio que fica aberto 24h por dia, 7 dias por semana. É claro que você precisará de uma boa infraestrutura e ferramentas que lhe permitam automatizar partes essenciais do processo de compra e venda – como liberação de pagamento, por exemplo -, mas não precisará de funcionários que trabalhem full time para manter a loja operando.

Poder acompanhar o seu negócio de perto

Quando você tem uma loja virtual pode acompanhar como anda o seu negócio de perto, extraindo relatórios da plataforma de e-commerce sempre que quiser. Além disso, você pode acompanhar o seu negócio de casa ou de qualquer lugar em que você precise acessar essas informações.

Não precisa fechar o caixa, esperar o dia ou a semana terminar para saber onde estão os gargalos, identificar produtos com maior ou menor saída. Dessa forma, ganhando agilidade no acompanhamento, você ganha também efetividade nas mudanças, oportunidade de realizar investimentos em promoções, entre outros fatores para garantir o sucesso da operação virtual.

Levar seu negócio físico para o ambiente virtual

Se você já é um varejista offline e está pensando em expandir (ou substituir) o seu negócio para o ambiente online, uma loja virtual é uma excelente opção. Você pode integrar a sua operação, contando com um software para gestão efetiva e completa – focando, principalmente, no quesito estoque.

Vale lembrar que o alcance de uma loja virtual é muito maior do que uma loja física, considerando que a localização não importa muito quando você começa a vender online. Contudo, isso também deve ser um ponto de cuidado, pois você precisa se preparar para operar a nível nacional, pelo menos, pois atuar localmente em uma loja virtual não vale a pena, considerando o investimento para ter essa limitação.

Afinal, o que é uma loja virtual boa?

Uma boa loja virtual deve ter um layout impecável, que não seja apenas bonito, mas funcional, auxiliando na tarefa de vender mais. Para isso, ele também deve ser responsivo, performando bem em dispositivos móveis como tablets e smartphones – vale dizer que isso também “conta pontos” para que o Google posicione bem o domínio na busca orgânica.

Integrações com meios de pagamento e empresas de logística, além de envio de email e campanhas de marketing digital são essenciais para que a loja virtual tenha sucesso. A loja virtual de qualidade também tem boas fotos, vídeos e outros recursos audiovisuais que otimizam a experiência de compra do e-consumidor.

3. Site e loja virtual: quais são as diferenças entre eles?

Site e loja virtual têm como papel dar visibilidade online à sua marca. Contudo, existem algumas diferenças consideráveis na hora de fazer a sua escolha entre um site ou loja virtual.

Uma loja virtual, por exemplo, só vale a pena se você trabalha com venda direta, seja no varejo, no atacado, em um shopping virtual ou atuando de outra forma. Se você quer vender online, precisa ter um e-commerce.

Já um site, por ter um caráter mais informativo e institucional e, portanto, é bem mais universal. Considere, por exemplo, que ele pode ser apenas um repositório de informações – não quer dizer que não precisa ser atualizado, pois precisa também dar notícias sobre a sua marca, cases de sucesso e qualquer informação que gere ainda mais relevância e autoridade para sua empresa.

Uma loja virtual precisa integrar diversos outros sistemas e funcionalidades, considerando os meios de pagamento, entrega e logística, controle de estoque, emissão de nota fiscal, criptografia de dados através de certificados digitais, entre outros elementos. Em contrapartida, um site tem uma operação bem mais simples, pois o máximo que precisará é de uma ferramenta para captação de contatos – o que pode ser feito pelo “fale conosco”, por exemplo.

4. Vale a pena ter uma loja virtual?

Tenha em mente que a pergunta certa para chegar a essa resposta é: minha empresa precisa de uma loja virtual? Bem, se o seu objetivo é fazer negócios online, como compra e venda direta, tendo toda a operação online, a resposta é sim.

Porém, se você precisa apenas ter um local para centralizar as informações sobre o seu negócio, conversar com o seu público e tornar a sua empresa cada dia mais presente online, um site institucional é a melhor opção. Vale ressaltar também que um endereço na web pode ser escalável e você pode começar com algo mais simples e, posteriormente, complementá-lo para ter mais funcionalidades.

Pense também que, por mais que você já tenha uma operação no varejo convencional, uma loja virtual é muito mais do que apenas uma extensão da sua empresa para o ambiente online. Você precisará de uma nova equipe, com foco em outros aspectos para além de atrair e vender para os consumidores. É preciso trabalhar logística, expedição, acompanhamento e entrega de pedidos, fazer a ponte entre os meios de pagamento, ferramentas de marketing, além de atendimento – que precisa ser excelente para que o consumidor seja fidelizado.

5. Quanto custa ter um site?

Ao optar por ter um site institucional você precisará considerar também quanto custa tê-lo. Para lhe ajudar, separamos aqui os principais investimentos que serão necessários. Vale dizer que esses custos são aplicações, não gastos, pois gerarão retorno para a empresa e, portanto, não devem ser tidos como dinheiro “jogado fora”.

Custos de desenvolvimento

Desenvolver o site é a parte mais “cara” do projeto, mas também é a mais importante. O desenvolvimento é o ponto de partida para gerar resultados. Ele deve começar com um briefing, onde o desenvolvedor conhecerá todos os elementos que deve incluir no seu projeto, as funcionalidades, o que deve ser customizado no layout, as integrações necessárias, etc.

O desenvolvimento considera não apenas o layout, mas uma boa arquitetura das informações, um conteúdo completo, bem elaborado e desenvolvido considerando também regras de SEO – para ter um bom posicionamento na busca do Google, usando palavras-chave e conteúdo otimizado.

Registro de domínio

Ao colocar a sua marca na internet, através de um website, você terá um custo de registro de domínio, garantindo que ninguém mais use o seu nome.com.br ou .com. Para isso, você deve comprar o domínio em seu nome, ou pode terceirizar com a empresa que vai desenvolver o seu site. O importante é lembrar que esse registro também tem um custo de manutenção, pois precisa ser renovado anualmente – existem opções de renovação por maiores períodos também.

Custos de manutenção

Além dos custos de desenvolvimento você precisa considerar, em seu plano de negócio, os custos de manutenção do site da sua empresa. Além do suporte ao domínio, com o pagamento anual para a renovação da licença, existem outros custos como:

Hospedagem do site

A hospedagem do seu site é o que faz com que ele fique sempre “no ar”, pode ser entendida como o local onde ele ficará armazenado, hospedado, em um servidor. Tenha em mente que esse é um dos custos mais importantes para o seu site, pois ele não pode cair ou ficar indisponível bem quando um consumidor estiver buscando por você, não é mesmo? A hospedagem é um custo mensal e precisa estar em dia para que você não tenha dores de cabeça.

Atualizações

Mudou de telefone, de endereço ou precisa de uma nova funcionalidade dentro do site? Bem, seu negócio precisa contar com alguém responsável pelo projeto internamente, ou mesmo com um suporte do desenvolvedor para realizar essas atualizações.

Pense, por exemplo, em épocas importantes para o seu negócio como Natal ou Dia das Crianças, por exemplo. Ter um banner customizado no seu site é algo importante para mostrar que ele é sempre atualizado e com informações precisas. Considere os custos com equipe ou manutenção no seu budget mensal para o site.

Divulgação do seu site

Divulgar o seu site é um ponto importante quando pensar em custos de manutenção, recorrentes, para o seu negócio no ambiente online. Seja investindo em campanhas de Google Adwords, links patrocinados, na  otimização do conteúdo usando técnicas de SEO, no envio de emails marketing ou newsletter, existe um custo de operação que deve ser levado em conta, por isso, insira o gasto com divulgação online no seu orçamento recorrente.

6. A escolha do desenvolvedor

Ao escolher quem vai desenvolver o seu site você deve ser criterioso e não levar a sério qualquer proposta que receber.

Experiência e cases de sucesso

É importante considerar aspectos como know how, experiência comprovada através de cases de sucesso, como sites desenvolvidos por ele e depoimentos de clientes.

Como é o site desse desenvolvedor?

Além disso, como é o site do próprio fornecedor? Se “casa de ferreiro, espeto de pau” se aplicar não dá para confiar, não é mesmo? Por isso, analise o site dele, verifique se tem tudo que ele promete entregar a você, como funciona, como as informações são dispostas, entre outros.

Converse com a empresa desenvolvedora sem compromisso

Bata um papo solicitando uma proposta sem compromisso, cheque como é o processo de briefing e planejamento desse fornecedor, aproveitando para perguntar bastante além de responder às perguntas feitas por ele. Entenda bem a proposta e tire todas as dúvidas antes de contratar efetivamente os serviços desse desenvolvedor.

Equipe robusta ou profissionais multidisciplinares

Ao desenvolver um site, vários elementos devem ser considerados. Por isso, a empresa desenvolvedora do seu site deve contar com profissionais de atendimento, programação, design, suporte e conteúdos. Caso a empresa não conte com uma grande equipe, precisa garantir que, pelo menos, esses funcionários disponíveis atuem de forma multidisciplinar. Vale ressaltar que isso deve ficar claro no escopo do projeto, na projeção de custos e no orçamento preparado para o desenvolvimento do seu site.

Por que não escolher um desenvolvedor freelancer?

Existe essa opção no mercado, mas ela é um pouco mais arriscada, se você tem uma marca consolidada e precisa de um atendimento mais robusto para lhe ajudar com suporte técnico. Um profissional freelancer provavelmente terá um contrato e cláusulas a cumprir, porém, ao contar com o know how e toda a expertise de uma empresa consolidada, você terá mais facilidade em ter os prazos e condições cumpridos conforme combinado. Além disso, uma empresa tem mais de um profissional, podendo alocar diferentes pessoas, com diferentes especialidades para trabalhar no seu projeto.

Centralize os serviços em um só fornecedor

Se o desenvolvedor oferecer serviço de registro de domínio e hospedagem, por exemplo, optar por manter tudo em um fornecedor apenas é uma boa aposta de economia e controle otimizado. Tenha em mente que você não precisa ter uma grande operação, uma equipe completa e multidisciplinar se tiver um bom desenvolvedor, que lhe preste todo suporte e tire suas dúvidas sempre que precisar. Por isso, escolha com sabedoria.

7. Conclusão

Seguindo essas dicas você com certeza terá uma plataforma online de acordo com as necessidades do mercado, garantindo assim o sucesso do seu negócio.

E a sua empresa, já tem um site completo, com design responsivo e conteúdo atraente para o seu público te encontrar e se interessar por você na internet? Se ainda tiver dúvidas, comente abaixo que nós o ajudaremos.

Quer compartilhar?
Empreendedor ideias conteudo email

Que tal o melhor conteúdo sobre empreendedorismo para você ter sucesso nos negócios?

Faça como centenas de nossos leitores: