Feijão com Arroz

Serviços de design na medida

Menu

Redução de custos: 6 despesas que não se deve cortar

Finanças Leia em 5 minutos

Principalmente em tempos de crise, as empresas buscam alternativas para fazer a redução de custos e para conseguirem se manter no mercado sem que suas contas sejam prejudicadas. Porém, antes de sair cortando os gastos em todas as áreas, é preciso verificar qual o impacto que isso pode trazer para a organização como um todo.

O que alguns acham que se trata de custos, na verdade, são investimentos e esses “gastos” não podem deixar de acontecer de maneira alguma. Afinal, são eles que impulsionarão o seu negócio, fazendo com que surjam novos clientes e que os antigos se mantenham fiéis.

Mas, então, como fazer isso? Se essa é a sua dúvida, separamos algumas dicas que podem ser usadas por qualquer tipo de empresa para que você não faça escolhas erradas e atrapalhe os negócios.

Veja nesse artigo, as despesas que são investimentos e que não podem deixar de ocorrer.

Divulgação com publicidade e marketing

Quem não é visto não é lembrado. Essa frase é muito conhecida e nunca deixou de ser verdade. Na hora de fazer a redução de custos, muitos empresários pensam logo nas “despesas” que a área de comunicação e, principalmente, o marketing geram.

A grande questão é que, sem divulgação, as pessoas acabam não se lembrando que a sua empresa existe e, nesse caso, tendem a ir para o concorrente que está mais em evidência. Esse deve ser o momento em que sua empresa deve aproveitar para se divulgar, visto que muitas ainda têm a mentalidade do que os investimentos em marketing podem ser cortados.

Se o problema é que o caixa está apertado, pense em mídias mais baratas e alternativas para a divulgação, mas não deixe o marketing de lado.

Práticas para manter a qualidade dos produtos

Um grande erro, principalmente para quem trabalha com produtos, é começar a substituir o que se tem por outros de menor preço e, consequentemente, de menor qualidade, para não deixar de ofertá-lo.

Isso é um grande erro, pois as pessoas compram com você porque gostam da qualidade do que você oferece. Essa mudança pode fazer com que muitos clientes acabem se afastando. Se for substituir o seu produto, ele jamais pode perder a sua qualidade — então, fique muito atento nesse ponto.

Agora, se os seus clientes estão pedindo por algo mais barato, pode-se até pensar em criar uma segunda linha para atender parte do seu público, pois assim a qualidade é mantida ao passo que uma alternativa também é oferecida.

Qualificação dos funcionários

Um dos seus diferenciais deve ser o atendimento ao cliente e não é porque estamos em tempos de crise que é preciso demitir toda a equipe para contratar funcionários “mais baratos”. Ao fazer isso, as chances são grandes do seu negócio perder profissionais bem capacitados e que já entendem as necessidades dos clientes.

O ideal é investir cada vez mais na qualificação deles para que possam ficar experts com o que trabalham e ofereçam o que há de melhor, não apenas em produtos, mas também em atendimento.

Benefícios na folha de pagamento

Reduzir premiações e benefícios dos funcionários pode ter um resultado desastroso, fazendo com que eles acabem procurando empresas que ofereçam melhores benefícios e pagamentos mais justos. O ideal é fazer exatamente o contrário: tentar aumentar as premiações e recompensas, mas, para seu negócio não ficar no prejuízo, as metas também devem ser elevadas.

Querendo ou não, as pessoas trabalham pelo salário e pelas comissões que recebem e, quanto mais atrativos forem, mais interessados e dedicados tendem a ser os seus funcionários. Se for preciso, revise suas contas para conseguir manter os pagamentos em dia sem que haja redução dos valores.

Lembre-se que sua equipe é quem traz retorno para o seu negócio e ela precisa ser reconhecida de diversas formas, inclusive financeiramente.

Diagnóstico contábil da empresa

Um problema dos pequenos e médios empreendedores é achar que entendem tudo do negócio só porque o criaram, mas, na hora de cuidar das finanças, acabam cometendo muitos erros.

Um contador é a melhor pessoa para ajudar a enxergar melhor as finanças da empresa e indicar onde o dinheiro não está sendo empregado de forma correta. Tirar o cafezinho não resolverá o problema quando existe outro fator que está fazendo o dinheiro ir por água abaixo.

Se não tem condições de contratar um profissional com essa formação, pode pensar em terceirizar o serviço, contratando um escritório de contabilidade para fazer isso. Assim, o custo com empregados é diminuído, mas você não abre mão de ter alguém que entenda das contas.

Técnicas para inovação

O mercado constantemente traz novidades e essas não podem ser deixadas de lado pela sua empresa — afinal, seus concorrentes podem aproveitar esse espaço e ganhar mercado.

Mantenha-se atualizado: isso inclui a preparação dos profissionais e também equipamentos modernos e inovadores. Investir em tecnologia, em matérias-primas novas e até mesmo equipamentos é fundamental para que se tenha um diferencial.

Por exemplo, não tem como deixar de investir em um site e em e-mail corporativo, nem mesmo ficar dependendo somente de papéis quando há muitos softwares que ajudam na gestão do seu negócio.

Porém, sabe-se que os equipamentos, principalmente, podem acabar tendo um custo elevado e, nesse caso, é possível trabalhar com o aluguel destas ferramentas. Muitas vezes, vale a pena fazer as contas para descobrir se alugar acaba saindo muito mais barato do que comprar, e essa regra é válida para muitas coisas da empresa, não apenas os equipamentos.

A estrutura física, como escritório, veículos e muitos outros elementos fundamentais para o negócio, pode ter uma grande redução de custos porque a manutenção acaba ficando por parte de quem disponibiliza o aluguel — e essa diferença é bastante significativa.

Por isso, se pretende cortar os custos, deve fazer isso em áreas e setores que não comprometam a qualidade do serviço prestado, seu posicionamento no mercado e a qualificação de seus profissionais.

Verifique a contabilidade com atenção para saber onde a redução de investimentos não prejudicará o seu negócio, sempre com o acompanhamento de um profissional.

Lembre-se que fazer a redução de custos pode impactar muito nos negócios, elabore um planejamento para lidar com essa nova situação. Quando a empresa continua a investir no seu crescimento, dificilmente terá grandes dificuldades em lidar com as finanças.

Gostou das dicas de redução de custos? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de muitas outras dicas importantes para o seu negócio!

Quer compartilhar?
Empreendedor ideias conteudo email

Que tal o melhor conteúdo sobre empreendedorismo para você ter sucesso nos negócios?

Faça como centenas de nossos leitores: