Feijão com Arroz

Serviços de design na medida

Menu

Como criar uma identidade visual em 7 passos simples

Comunicação Leia em 16 minutos

Pequenos negócios têm que competir constantemente com todas as outras marcas que também estão no mercado tentando chamar a atenção de possíveis clientes. Não é suficiente dizer que sua empresa é diferente: você deve mostrar isso, fazendo com que os consumidores reconheçam facilmente seu diferencial. Criar uma identidade visual forte é a chave para destacar pequenos negócios em meio à multidão.

Não importa qual a área de atuação de sua empresa, sua identidade visual deve ser prioridade. Algumas marcas chegaram até mesmo a elevar a identidade de suas marcas a um nível artístico — pense em Apple, Lego ou Google.

Quer fazer o consumidor se lembrar de sua empresa? Então acompanhe as dicas que apresentaremos a seguir e tenha uma identidade visual matadora!

Afinal de contas, o que é a identidade visual de uma marca?

Uma identidade visual é mais que um logo e que um mero guia de estilo para uma marca: trata-se de uma maneira essencial de diferenciar um negócio de seus competidores.

Uma identidade visual bem elaborada vai influenciar significativamente a experiência dos consumidores com sua marca em todos os aspectos possíveis. Afinal, ela afeta inconscientemente a forma como o consumidor se relaciona com a empresa, como determina sua relevância e confiabilidade.

Ela é, em resumo, a forma como a empresa se projeta, se comunica com os consumidores e como eles se sentem sobre ela. É o conjunto de elementos que determina se eles vão ou não desenvolver uma relação com a marca — e mantê-la.

Mas criar uma identidade visual não é tarefa fácil. Você precisa de uma base sólida, mas flexível; uma identidade fundamentada em suas raízes, mas olhando para o seu futuro.

Ao começar um projeto de branding, deve-se abordar cada etapa de um ponto de vista altamente crítico. O objetivo é inspecionar, cutucar e produzir até chegar ao núcleo da marca. Para propósitos de aprendizagem, vamos focar nos elementos estéticos de uma identidade visual (ou a linguagem visual). Isso inclui:

  • logo;
  • paleta de cor;
  • tipografia;
  • iconografia;
  • design;
  • fotografia/gráficos.

Qual é a importância da identidade visual?

Mesmo com todas as facilidades da vida moderna, as pessoas parecem ter cada vez menos tempo para realizar suas tarefas diárias. Como resultado, são sempre as empresas com uma identidade visual marcante que acabam captando a atenção do consumidor. Muitas vezes, as pessoas formam opiniões sobre uma empresa antes mesmo de saber quem ela é ou o que faz.

É preciso que a presença visual da empresa a diferencie de forma eficiente, sendo essencial que a marca apresente uma personalidade individualizada, bem definida e consistente, desenvolvida com o propósito de estabelecer uma conexão emocional com seu público-alvo.

A identidade visual é uma pequena parte do todo de uma marca, mas é a primeira imagem formada na mente de potenciais consumidores. Ao visitar o site da empresa ou ler um artigo de seu blog, é a primeira impressão que vai determinar o interesse do cliente no que a empresa oferece. Desenvolver uma identidade forte para a marca gera o marketing boca a boca, em que clientes satisfeitos, que compraram a ideia da marca, a divulgam e trazem novos consumidores.

Todos os elementos da marca devem ser consistentes e bem pensados. Podem haver exceções para companhas de marketing especificas, mas a identidade visual deve ser, em geral, padronizada e concisa. Quando consumidores sabem o que esperar de uma empresa e ouvem isso repetidamente, eles sentem que podem confiar naquela marca. Isso mostra que a empresa leva seus negócios a sério!

Às vezes, é preciso construir uma identidade visual inteiramente do zero. Outras, deve-se atualizar uma identidade já existente. De qualquer forma, é preciso fazer uma avaliação completa do estado atual da identidade visual da marca para entender como ela pode ser trabalhada ou ajustada para se alinhar às metas futuras da empresa.

Nesse momento, precisamos saber como a marca é percebida, tanto interna como externamente. Obter um feedback honesto e preciso é a única maneira de entender como e onde a marca precisa ser alterada. Esta etapa requer uma quantidade razoável de pesquisas, incluindo conversas com funcionários e, em níveis mais avançados, com os próprios clientes.

Como criar uma identidade visual em 7 passos simples?

1. Defina seu público

Atrair consumidores é essencial para o sucesso de novos negócios. Para atingir este objetivo, você pode jogar a rede no mar e esperar pelo melhor, ou dedicar um pouco de tempo determinando quem está mais propenso a precisar dos produtos ou serviços que a empresa oferece.

Identificar o púbico-alvo permite descobrir exatamente qual a demanda de mercado para o produto em questão, modificar produtos e serviços para melhor atender às necessidades dos consumidores e projetar uma campanha de marketing que fale diretamente com os consumidores, usando tons e linguagens mais adequados para atrair sua atenção.

Crie um perfil de consumidor

As pessoas mais propensas a se identificar com uma marca e comprar determinados produtos compartilham certas características. O primeiro passo para identificá-las é criar um perfil de consumidor, uma descrição detalhada de seu público-alvo, que inclui alguns elementos-chave.

  • Idade: seus consumidores se encaixam mais no perfil millennial? Ou são pessoas de meia-idade ou idosas? Isso é importante porque consumidores de diferentes idades vão reagir de formas distintas à maneira como um produto é projetado e divulgado;
  • Gênero: as necessidades e preferências de homens e mulheres costumam ser diferentes. Se você promove uma marca de uma forma que falhe em atingir essas particularidades, pode acabar atraindo poucas pessoas de ambos os gêneros;
  • Faixa de renda: essa é uma informação fundamental para definir a estratégia da empresa e saber se os clientes estão aptos a adquirir os produtos pelo valor pretendido;
  • Localização: pessoas que vivem em cidades grandes possuem hábitos de compra diferentes de quem vive em áreas rurais, por exemplo. Onde as pessoas residem ou o tipo de comunidade em que vivem vão influenciar suas preferências de compra.

2. Defina a razão da sua empresa (sua missão)

A missão da sua empresa é uma declaração escrita de seu propósito fundamental, que, normalmente, permanece imutável ao longo do tempo. Uma missão propriamente definida serve para diversos fins: separar o que é importante para a empresa e o que não é; deixar claro como seus produtos e serviços serão apresentados ao mercado; e comunicar o senso de direção para toda a organização.

A missão é diferente da visão: uma é a causa, a outra é o efeito. A missão é algo a ser alcançado, enquanto a visão é algo a ser perseguido por meio dessa conquista. A missão de uma empresa deve definir seus objetivos, sua ética, cultura, e normas para decisão e ação.

Para tanto, é preciso definir os objetivos da empresa em, pelo menos, 3 dimensões: o que a empresa faz por seus consumidores, o que ela faz por seus colaboradores, e o que ela faz por seus donos. Se possível, estenda esses objetivos para pensar também o que a empresa faz pela comunidade e para o mundo. Para ajudá-lo nessa tarefa, é preciso buscar a resposta para algumas perguntas fundamentais.

  • O que é a sua companhia?
  • O que ela faz? No que ela acredita? E por que ela faz o que faz?
  • Você quer obter lucros significativos ou quer apenas o suficiente para viver?
  • Quais mercados você pretende atender e quais benefícios tem a oferecer a eles?
  • Você resolve problemas para seus consumidores?
  • Que tipo de ambiente de trabalho você proporciona para seus colaboradores?

Definir a missão da empresa é crucial para guiar todo o processo de criação da identidade visual, uma vez que o consumidor tende a se identificar com marcas que sustentem e promovam valores que ele também valorize, e, portanto, estará mais propenso a confiar e permanecer fiel a sua marca. Descobrir como estabelecer essa conexão sentimental com o consumidor é parte importante da criação da identidade visual, e a missão da empresa vai guiar esse processo.

3. Defina a personalidade da sua empresa

Quando tiver definido a missão da empresa, é hora de usá-la como base para encontrar a personalidade de sua marca que combine com essa identidade. Que tipo de pessoa seria um bom porta-voz para a empresa? Quem seria um bom reflexo da marca? Como essa pessoa falaria?

Um bom ponto de partida para definir e desenvolver a personalidade da marca é se fazer a seguinte pergunta: “se eu pudesse ter qualquer pessoa como porta-voz dessa marca, quem eu escolheria?”. A partir daí, você pode começar a desenvolver a personalidade perfeita para levar sua marca para o consumidor.

4. Dê atenção ao briefing

O briefing é usado para detalhar os passos e os fundamentos de uma inciativa de marketing e campanha. Esse documento é usado para dar aos diretores criativos e publicitários o que eles precisam para seguir com a campanha, e permite também maior controle sobre o resultado final, possibilitando determinar se a iniciativa foi bem-sucedida ou não.

Ele serve, ainda, para assegurar que uma campanha ou iniciativa de marketing seja lançada a tempo, e permite acompanhar e verificar possíveis atrasos.

Ao construir um briefing, lembre-se de que ele deve servir para os seguintes fins: explicar e comunicar o propósito de uma iniciativa de marketing; estabelecer o tom e identificar os segmentos alvos; identificar e estabelecer os objetivos da iniciativa.

Alguns itens não podem faltar no seu briefing. Confira a seguir!

  • Breve resumo da história da empresa e produtos ou serviços oferecidos por ela.
  • Razões e objetivos para fazer o briefing: qual o objetivo a ser alcançado?
  • O que está tentando comunicar? Qual a mensagem?
  • Qual seu público alvo? São segmentos múltiplos? Quem deveria se identificar com a mensagem?
  • Plano de execução: como o planejamento será colocado em prática? Quais estratégias de marketing podem ser usadas pela marca?
  • Meios de divulgação: baseado em seus objetivos, necessidades de comunicação, público-alvo e execução, quais veículos você vai precisar? Não se limite, mas tenha certeza dos meios necessários para divulgar o negócio.

5. Invista em brainstorming

Brainstorming é a forma de encorajar colaboradores a sugerir ideias que podem, à primeira vista, parecer meio estranhas, mas que, ao serem analisadas e aprofundadas, podem definir o rumo do trabalho de criação, solucionar problemas, ou, ainda, ser usadas para gerar ainda mais ideias. Encoraje os profissionais a sair de sua zona de conforto e a pensar de formas diferentes e inusitadas!

É no brainstorming que cada profissional envolvido no projeto de criação da identidade visual apresentará ideias e conceitos que melhor traduzam a missão, os objetivos e conceitos ao consumidor e ao mercado. Esse processo é essencial para que o resultado final seja eficiente em estabelecer a relação do consumidor com a marca: é aqui que o projeto começa a tomar forma.

Sendo assim, durante uma sessão de brainstorming, deve-se evitar críticas ou o abandono de ideias, mantendo-se sempre aberto a novas possibilidades e formas não convencionais de criar soluções, resolver problemas e apresentar a marca para o público. Prejulgamentos e análises negativas podem, nesse estágio do processo, limitar o fluxo e a criatividade.

6. Defina cores, fontes e estilos

A identidade visual deve ter um guia de estilo orientando sua implementação. Todo marketing tradicional e online deve ser padronizado e usar as mesmas cores, imagens, fontes, gráficos e composições, com o objetivo de criar uma imagem sólida e consistente para a empresa.

Uma identidade visual bem organizada, de fácil reconhecimento e confiável, promove a ideia de que o negócio é honesto e relacionável.

Cores

Tendo estabelecido imagens visuais sólidas para o conceito, é hora de explorar as possíveis cores da identidade. Certamente, a emoção desempenha um papel enorme na escolha da cor. Isto também é, como mencionado anteriormente, uma boa chance de diferenciar sua marca. As cores têm papel decisivo na decisão de compra, influenciando diretamente o modo como o consumidor se sente sobre a empresa e seus produtos.

Uma boa paleta de cores é limpa e flexível, fornecendo aos designers opções suficientes para serem criativos sem sobrecarregar a estética. Isso inclui cores primárias, complementares e adjacentes.

Tipografia

Cada etapa tem seus próprios desafios, mas a tipografia pode ser um passo particularmente complicado ao criar uma identidade visual. Marcas, muitas vezes, seguem tendências que parecem apropriadas e que estão “na moda” por um tempo, mas podem rapidamente se tornar datadas ou parecerem amadoras. Portanto, é importante seguir as indicações de um bom profissional.

Você pode achar que essa é uma escolha simples, mas a tipografia é tão emocional quanto qualquer outra coisa, e ela precisa comunicar a personalidade da marca de forma eficaz. Branding é como construir uma casa: cada elemento é construído em cima do outro. Assim, a tipografia deve ser formada pelas formas do logotipo.

Geralmente, limitamos o número de famílias de fontes para 2 ou, no máximo, 3 tipos. Isso inclui um tipo de letra na marca principal e um tipo de letra secundário para fins específicos, de acordo com o local em que ele será usado.

7. Tenha a equipe de design certa para dar vida à sua identidade

A criação da identidade visual de uma marca requer um alto nível de profissionalismo do começo ao fim. Criar uma marca forte deve ser um de seus principais objetivos — afinal, a imagem de uma empresa é tão importante quanto os produtos e serviços que ela oferece. Negócios de sucesso investem pesado em desenvolver uma imagem clara e consistente.

O próximo passo, portanto, é decidir entre profissionais de design freelancers ou uma agência criativa. Costuma-se presumir que as melhores opções são profissionais freelancers, devido ao menor custo. Mas isso pode estar bem longe da realidade, dependendo da situação. Apresentamos aqui as principais diferenças entre os dois, para que você possa fazer sua escolha da melhor maneira possível.

Considere o volume de trabalho

Se você precisa de trabalhos menores, freelancers são uma boa opção. Mas você deve se lembrar de que esses profissionais geralmente se especializam em uma ou duas áreas, sendo que poucos possuem todo o conhecimento necessário para produzir um projeto complexo como a criação de uma identidade visual completa.

Por outro lado, uma agência possui um time completo para trabalhar em seus projetos. Diferentes partes do projeto serão destinados a times especializados em seus respectivos papeis. Por exemplo, para projetar um site, um profissional pode cuidar dos gráficos, outro da programação e outro da criação visual, enquanto outros trabalham na experiência do cliente. Como cada parte do projeto vai ser executada por diferentes profissionais, ele tende a ficar pronto mais rápido e exigir menos revisões.

Maior controle do orçamento

Outra questão importante é o orçamento. Contratar freelancers pode acabar custando mais a longo prazo. Isso porque, em muitos casos, será preciso contratar mais freelancers para cuidar dos vários aspectos do projeto, e você terá que ser o supervisor de tudo, o que pode ser cansativo e consumir muito do seu tempo.

Com uma agência, você tem a certeza de que existe alguém encarregado de cuidar do seu projeto como um todo, se certificando de que cada aspecto está progredindo, ou um diretor criativo para garantir que cada elemento se encaixe e funcione de maneira consistente. E a melhor parte é que você paga um valor total, e não por cada parte do processo individualmente.

Como não errar na criação da identidade visual?

Muitas dúvidas podem surgir na hora de colocar as ideias no papel e desenvolvê-las para criar uma identidade visual. Diversos fatores devem ser considerados e, às vezes, passos importantes podem ser esquecidos ou negligenciados, comprometendo o resultado final e colocando em risco todo o trabalho desenvolvido.

Então, para tornar esse processo mais fácil, listamos abaixo alguns passos simples, porém essenciais, para acertar em cheio na hora de criar uma identidade visual.

1. Planeje desde o começo

Antes de começar a criar a identidade visual da empresa, defina uma estratégia para definir um pacote de valores e propostas comuns a você e o profissional que pretende contratar. Se isso não acontecer no início do projeto, você não terá nenhum ponto de referência para avaliar se o projeto é relevante ou não.

2. Utilize o briefing

Se os conceitos de design forem criados sem um briefing completo sobre a marca, tanto o criativo quanto o contratante acabam confiando demais em uma ideia intuitiva e, portanto, você corre o risco de fornecer um feedback subjetivo. Um resumo elaborado a partir de uma estratégia clara permite que ambas as partes racionalizem as decisões de design.

3. Pesquise

Compreenda e esclareça qual é a personalidade da marca, sua história, função e objetivos por trás de tudo. É preciso que o designer extraia cada nuance de quem é seu cliente e sobre o que a empresa trata, incluindo o público-alvo, como deseja ser percebida, e formatos e pontos de venda em que deseja promover-se.

4. Esclareça suas expectativas

Pode ser um exercício valioso fazer uma pesquisa e apresentar referências para a criação de sua marca. Você vai esclarecer do gosta e qual é seu conhecimento sobre design.

5. Verifique a concorrência

Olhe para as cores, fontes, logos e estilos visuais utilizados pelos concorrentes e procure criar algo realmente único, diferente de todos eles. Pense nos usos variados de cores e tamanhos do projeto.

6. Não confie apenas no logo

Enquanto um logotipo é, por vezes, o eixo que mantém uma identidade da marca em conjunto e a torna instantaneamente reconhecível, as marcas não são construídas apenas com logotipos. Ao criar uma identidade visual, não se concentre nos elementos separados. Certifique-se de sempre considerar a identidade com um todo e como todos os elementos interagem uns com os outros.

7. Exercite a eliminação

Entender suas necessidades é o primeiro passo para a criação de uma grande identidade visual. Limitando paletas de cores, detalhes e tipografia, uma identidade simples pode se tornar atemporal e evoluir com seu negócio.

8. Descubra o que é especial

Se esse “algo especial” sobre seu produto não é identificado no início, você estará perdendo uma enorme oportunidade para se conectar com o público que deve atrair. Acerte esse passo e você já está na metade do caminho; erre e você vai acabar com pouco material para estimular a sua imaginação.

Criar uma identidade visual é o primeiro passo para qualquer empresa que deseje se posicionar no mercado de forma eficiente e definitiva. É importante que o pequeno empreendedor compreenda a importância de apresentar seus serviços e produtos ao mercado da forma mais profissional possível logo no começo dos seus negócios. A primeira impressão é a que fica, e queremos que ela seja a melhor possível!

Uma empresa que consegue imprimir sua marca na mente do consumidor de forma eficaz é capaz de se manter no topo, sendo referência e prioridade na hora da decisão da compra.

E você, já começou a criar a identidade visual de sua marca? Então, deixe seus comentários, suas dicas, dúvidas e sugestões. Queremos saber a sua opinião!

Quer compartilhar?
Empreendedor ideias conteudo email

Que tal o melhor conteúdo sobre empreendedorismo para você ter sucesso nos negócios?

Faça como centenas de nossos leitores: